A hipertensão ou pressão alta é uma doença crônica que não tem cura, é caracterizada pelos níveis de pressão sanguínea elevados maiores que 140x90mmHg ou 14 por 9. A pressão alta faz com que o coração trabalhe mais e tenha um esforço maior que o normal para que o sangue seja distribuído corretamente pelo corpo. Com isso, ela é um fator de risco para acidente vascular cerebral (AVC), infarto, aneurisma arterial, insuficiência renal e cardíaca1.

Segundo a diretriz da Sociedade Europeia de Hipertensão (ESC, 2018), para as pessoas maiores de 18 anos, a pressão arterial é classificada2:

ESC (2018) Pressão Arterial Sistólica (mmHg) Pressão Arterial Diastólica (mmHg)
Ótimo <120 <80
Normal 120-129 80-84
Normal-alto 130-139 85-89
Hipertensão estágio 1 140-159 90-99
Hipertensão estágio 2 160-179 100-109
Hipertensão estágio 3 ≥180 ≥110

Dica: Para ler esses valores da forma como popularmente falamos sobre a pressão arterial, basta “tirar” o ultimo número (180mmHg é o que a gente falaria de “minha pressão está em 18”).

Há fatores que influenciam nos níveis da pressão arterial causando a hipertensão, entre eles1:

  • Fumo (tabagismo);
  • Consumo de bebidas alcoólicas;
  • Obesidade;
  • Estresse;
  • Elevado consumo de sal;
  • Níveis de colesterol elevados;
  • Falta de atividade física;

 

Design por Ana Paula de Lima

 

Os sintomas costumam aparecer quando a pressão está muito alta1:

  • Dores no peito;
  • Dor de cabeça;
  • Tonturas;
  • Zumbido no ouvido;
  • Fraqueza;
  • Visão embaçada;
  • Sangramento nasal;

O tratamento da hipertensão é o controle da mesma. Há alguns hábitos que podem prevenir a doença e também realizar seu controle de forma não-farmacológica, ou seja, sem remédios1.

 

Design por Ana Paula de Lima

Como realizar esse controle?

  1. PRATICAR ATIVIDADE FÍSICA REGULAR, de 3 a 5 vezes por semana por pelo menos 30 minutos, totalizando 150 minutos semanais em atividades aeróbicas (caminhada, corrida, natação, dança) e resistidas (fortalecimento de grandes grupos musculares);
  2. NÃO ABUSAR DO SAL, utilizando outros temperos naturais que ressaltam o sabor dos alimentos como ervas, limão, cebola, alho, cheiro verde. A Organização Mundial da Saúde sugere que o consumo diário de sal seja, no máximo, 5 gramas por dia, isso equivale a uma tampa da caneta Bic. O sal deve ser adicionado durante o preparo dos alimentos em pequena quantidade, evitar adicionar sal no prato pronto. Evitar alimentos gordurosos (frituras, banha, gordura hidrogenada e alimentos industrializados) e MANTER O PESO ADEQUADO, se necessário, mudando hábitos alimentares;
  3. Hidratar-se;
  4. Moderar o consumo de álcool;
  5. Abandonar o fumo, caso faça uso;
  6. Aproveitar momentos de lazer a fim de controlar o estresse emocional e psicológico;
  7. Controlar o diabetes, se presente.

 

Design por Amanda Penetta

 

Que tal dividir essas coisas em passos para facilitar?

PASSO 1 – Aumente o consumo de água e cuide da sua alimentação.

O peso corporal está diretamente ligado com o aumento da pressão arterial tanto nos adultos quantos nas crianças, assim a redução do peso corporal por meio da atividade física e alimentação saudável e equilibrada reduzem a pressão arterial sendo assim um tratamento não-farmacológico. Portanto, uma dieta rica em: frutas, hortaliças, laticínios frescos (leite, queijo, iogurte), ovos, cereais integrais, carnes magras em geral (suína, bovina e aves), peixes e, pobre em: açúcar, doces, bebidas alcoólicas, alimentos com alto teor de gordura saturada e excesso de sal/sódio, auxilia no controle da pressão alta3.

Nesse link você encontrará um Guia Alimentar elaborado pelo Ministério da Saúde, disponível na biblioteca virtual em saúde.

 

PASSO 2 – (continue realizando o passo 1): Realize atividades físicas. A indicação são 150 minutos semanais divididos entre 3 a 5 dias da semana. Procure locais abertos para realizar essas atividades e orientação profissional. Além de ajudar fisiologicamente na doença também contribuirá para redução do estresse e promoção do seu bem estar.

A falta de atividade física tem sido considerada o maior problema de saúde pública sendo que pessoas que passam mais tempo sentadas vivem menos do que pessoas que não passam tanto tempo sentadas. Exercícios aeróbicos como correr, caminhar, nadar, dançar são indicados para o controle da hipertensão, além de auxiliar na redução da pressão alta eles também ajudam nas situações de estresse mental e psicológico. Os exercícios resistidos com próprio peso do corpo ou com caneleiras também são indicados. É muito importante ter um profissional capacitado para este tratamento3.

Nesse link você encontrará mais informações sobre atividade física em tempos de pandemia, InformaSUS (2020).

Outro fator muito importante é a respiração, ao respirar de forma lenta e guiada por um profissional capacitado tem-se a redução da frequência respiratória e a longo prazo da pressão arterial. Dessa forma, enfatiza-se durante os exercícios uma boa respiração3.

 

PASSO 3 – (continue realizando os passos 1 e 2): Se você fuma procure ajuda de um profissional para ser orientado a parar com esse hábito. Diga não ao cigarro.

O hábito de fumar pode trazer prejuízos para seu corpo como um todo. Nesse link você encontrará ajuda em seu Estado.

 

PASSO 4 – (continue realizando os passos anteriores): Faça o controle do Diabetes. É muito importante a realização do controle tanto para a hipertensão arterial como para outras doenças, como as renais. Procure um profissional capacitado.

 

Cuide do seu coração #cuidedoseucoracao

 

Referências:

1MINISTÉRIO DA SAÚDE. Hipertensão (pressão alta): o que é, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. Disponível em: < https://saude.gov.br/saude-de-a-z/hipertensao>. Acessado em 31 de agosto de 2020.

2EUROPEAN SOCIETY OF CARDIOLOGY. 2018 ESC / ESH Práticas Clínicas Diretrizes para o Tratamento da Hipertensão Arterial. Disponível em: < https://www.escardio.org/Guidelines/Clinical-Practice-Guidelines/Arterial-Hypertension-Management-of> Acessado em 31 de agosto de 2020.

3ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Sociedade Brasileira de Cardiologia • ISSN-0066-782X • Volume 107, Nº 3, Supl. 3, Setembro 2016 (link <http://publicacoes.cardiol.br/2014 /diretrizes /2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf>).

 

Autores:
Ana Carolina Marcondes
Juliano Ferreira Arcuri

Revisão:
Fernanda Gonçalves Duvra Salomão
Elaine Gomes da Silva

 

Créditos da imagem: McRonny no Pixabay

Veja também:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *