Equipe

Leticia Ambrosio

Terapeuta Ocupacional, mestra em Terapia Ocupacional pelo PPGTO -UFSCar, e doutoranda no PPGTO -UFSCAR. Pesquisa temáticas relacionadas à raça, gênero, sexualidades e estudos pós-coloniais. Tem experiência com juventudes, cultura, saúde mental e deficiência intelectual.

Natália Sevilha Stofel

Enfermeira, feminista. Mestre em Saúde Pública (USP). Doutora em Enfermagem (UFPel). Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem da UFSCar. Membro do NEAB-UFSCar e do CISMu-UFSCar.

Bruna Luana Farias

Bacharel em enfermagem pelo Centro Univesitário São Camilo, com ênfase em estudos em Saúde Mental e Psiquiatria pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de SP, membra do NEAB/ UFSCAR ( Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade de São Carlos) e colaboradora do Alma Preta Jornalismo sobre Covid -19. Atua como enfermeira assistencial e em luta no SUS (Sistema Único de Saúde), atuando no Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos.

Prof. Dr. Eduardo Pinto e Silva

Psicólogo pela PUC-SP, Mestre e Doutor em Educação pela UNICAMP, Pós-Doutorado pelo Programa de Políticas Públicas e Formação Humana da UERJ. Professor Associado III do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar. Pesquisador do Núcleo de Estudos Trabalho, Saúde e Subjetividade da UNICAMP.

Ivonete Aparecida Alves

Agbá do Mocambo APNs Nzinga Afro-Brasil, Coordenadora do Coletivo Mãos Negras de Presidente Prudente e doutoranda da Unicamp.

Thais Fernanda Leite Madeira

Cientista Social e Pedagoga, mestre em Ciências Sociais e Doutoraem Sociologia pela UFSCar. Professora da Unidade de Atendimento à Criança da UFSCarTrabalhou na áreada Antropologia da Saúde como o tema doenças genéticase a construção da identidade étnica: o caso da Anemia Falciforme no Brasil. Trabalhou no primeiro GT de Saúde da População Negra em São Paulo e diagnosticou a importância da implementação do teste do pezinho para detectar anemia falciforme.

Maria Claudia Bullio Fragelli

Pedagoga, bacharela em Áudio Visual, especialista em História da Arte e mestranda em Terapia Ocupacional pelo PPGTO – UFSCAR. Professra da Unidade de Atendimento à Criança (UAC- UFSCar). Pesquisa temáticas relacionadas a raça, gênero, sexualidades e subjetividades. Tem experiência com infâncias, educação infantil, arte e cultura.

Altair Lira

Mestre em Saúde Coletiva ISC/UFBA
Bacharel em Antropologia da Saúde FFCH/UFBA
Descendente do Povo FULA da Guiné-Bissau e do Povo MENDE e TEMNE de Serra Leoa – ÁFRICA
Fundador e ex-coordenador da Associação Baiana das Pessoas com Doenças Falciformes – ABADFAL
Fundador eda Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doenças Falciformes – FENAFAL
Coordeno a área temática de Saúde da População Negra da ABPN – Associação Brasileira de Pesquisadores e Pesquisadores Negras e Negros

Edilaine Cardoso

Fisioterapeuta formada pelo Centro Universitário São Camilo em 2009, especializou-se em Saúde da Mulher pela Universidade Federal de São Carlos em 2018, é Doula desde 2016, e atualmente pesquisa as interseções entre arte e saúde, gênero e raça nas ações de cuidado integral. Realiza atendimentos de média e baixa complexidade nas afecções ortopédicas e motoras, saúde da mulher (uroginecologia), acompanhamento gestacional, preparação para o parto e atendimento no puerpério.

Flávia dos Santos Coelho

Mulher preta amazônica. Terapeuta Ocupacional pela Universidade do Estado do Pará, Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica pela Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal do Maranhão e Mestranda em Terapia Ocupacional pelo Programa de Pós Graduação em Terapia Ocupacional da UFSCar (PPGTO). Desenvolve pesquisa em Terapia Ocupacional e Cultura, Redes Sociais e Vulnerabilidades e em Saúde Pública.

Matheus Rodrigo dos Santos

Graduando de Jornalismo na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP) no campus – Bauru. Negro e cotista na instituição. Foi estagiário de 2018 a 2020 na Editora Alto Astral na cidade, produzindo reportagens para revistas e sites do veículo a respeito de temas como ciência, história, cultura e saúde. Atuou como pesquisador da FAPESP, desenvolvendo uma pesquisa acadêmica sobre o tema “A cobertura do veículo Agência Pública sobre ações de militares em 2018” com bolsa da instituição. Também atuou como repórter, editor e monitor de projetos de extensão de jornalismo independente (Voz do Nicéia que produzia um jornal para uma comunidade marginalizada de Bauru) e laboratório de pesquisa científica (Lecotec e Observatório de Indústrias Criativas).