Autoria: Maria de Fátima Moreira Sampaio

Descrição da obra: A obra demonstra que não importa qual é a situação, por mais difícil que seja, precisamos fazer nascer e crescer em nosso coração a esperança, que é a arma mais poderosa para uma existência harmônica. Essa noção de esperança, alteridade e empatia denotam o cuidado em si mesmo e no outro que torna tudo suportável e traz o caminho para o futuro mesmo em tempos sombrios.

Expressão: Literatura.

 

EXISTIR

 

Qual a palavra que não foi dita? De quem foi o último sorriso?
O abraço amputado, o lábio ressabiado, o canto escondido…
Lá se foram os dias,
Os tempos do passado com a tal da saudade.
E agora que a cidade se escondeu, eu perdi meu lugar no seu coração?
Depois de quase seis meses a paisagem tentava erguer a esperança. Uma cor no rosto de cada criança, a esperança andarilha procurando conforto no coração dos que resistiram ao medo, à solidão e à morte.
Algo no meio do dia, uma foto em um jornal, uma notícia nova mal dita, o espaço agora mensurado pelo medo do contágio invisível, de uma sorte matreira que parece brincar de desfazer a vida inteira.
E agora, Maria, José, Daniel, Carlos, Vinícius, Carol, Fernandas e Eduardos, nomes das multidões isoladas, dos gritos afundados em dor e da angústia que insiste em abater o coração de cada um.
Mas ainda é tempo, ainda existe alento e a esperança…. velha conhecida das estórias que parecem não ter saída, sempre vigora faz dobrar os hinos de mais dias, a farra da alforria e a glória de mais um dia!
A piada não vai perder a graça,
Resiliência é a ordem da nova era
E a vida… ela sempre inova!
Não há lugar para o suplício enquanto a terra nos acolher,
Não há nem mesmo um lugar para o temor, porque viver é absoluto!
Alguns amores ficaram distantes, outros morreram, algumas ausências vão ficar para sempre, mas outros rostos chegaram para nos conhecer.
O universo continua sua rota, obedecendo à lei do tempo, uma ordem que existe além das vontades. Ele vai tecendo os termos da existência com seus mistérios. Mas o que importa mesmo é que estamos aqui e devemos fazer dessa oportunidade o melhor lugar para estar.
Presente, passado ou futuro, É a claridade das horas, das noites depois do entardecer, das manhãs douradas ou nubladas e
do futuro que estamos prestes a conhecer.
Foi um tempo difícil esse de tanto medo de não viver!

Ainda é um tempo difícil esse de tanto medo de não amanhecer!
Mas a vida é maior,
A vida é melhor,
A vida vai vencer!
Viveremos e veremos,
Todos juntos, faremos um novo alvorecer!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *