A pandemia causada pela infecção por coronavírus 2 (SARS-CoV-2) não só se apresenta como uma ameaça à saúde, como também tem colocado à prova a eficiência de governos e de políticas públicas de saúde. Inúmeras pesquisas estão sendo desenvolvidas ao redor de todo o mundo buscando explicar o mecanismo de ação do vírus e formas efetivas de tratar a infecção.

Sabe-se que, dos pacientes diagnosticados com o novo Coronavírus, cerca de 17,1% são hipertensos. A taxa de mortalidade em pacientes com comorbidades é mais alta do que a da população sem doenças prévias; no grupo dos pacientes hipertensos, a taxa de mortalidade é próxima a 6%. [1,2]

Existe um grande debate na comunidade científica quanto à continuidade ou não do tratamento da hipertensão com determinadas classes de medicamentos que interferem na Enzima Conversora de Angiotensina 2 (ECA2). O nível dessa enzima aumenta nos pacientes que utilizam medicamentos que interferem no Sistema Renina Angiotensina, como os inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina (iECA) e os Bloqueadores de Receptores de Angiotensina (BRAs). Entretanto, a ECA2 é também a porta de entrada do vírus no organismo. [3,4]

Logo, parte dos profissionais da saúde defendem a substituição dos iECAs e BRAs por outras classes de medicamentos que não aumentam o nível de expressão da ECA2. No entanto, vale ressaltar que o aumento da ECA2 promovido por essas duas classes de medicamentos possui um papel importante na proteção tecidual, devido a seus efeitos vasodilatadores, antioxidantes, antifibróticos e anti-inflamatórios. [5–7]

Por isso, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) se reuniu e emitiu uma nota instruindo tanto a comunidade civil como a médica a não interromperem ou alterarem o tratamento da hipertensão com iECAs ou BRAs, principalmente devido ao fato de não haver estudos científicos até o momento que comprovem os malefícios desses medicamentos. [8,9]

Além disso, a SBC define como papel do médico avaliar individualmente o paciente em relação ao risco cardiovascular decorrente da suspensão dos fármacos versus o risco potencial de complicações pela doença. Por fim, ressalta que é fundamental a adoção sistemática de todas as medidas preventivas recomendadas pelo Ministério da Saúde, reiterando a necessidade de busca precoce de auxílio médico no caso de surgimento de sintomas.

A SBC também sugere que as consultas médicas de rotina sejam adiadas, assim como procedimentos diagnósticos eletivos. A renovação de receitas de medicação de uso crônico devem ser feitas por familiares jovens sadios e o uso da telemedicina, sempre que possível, também é incentivado para a avaliação do quadro clínico geral e orientações. [10]

 

Referências Bibliográficas:

  1. ACC COVID-19 Clinical Guidance For the Cardiovascular Care Team [Internet]. DAIC. 2020 [citado 19 de abril de 2020]. Disponível em: https://www.dicardiology.com/article/acc-covid-19-clinical-guidance-cardiovascular-care-team
  2. Guan W, Ni Z, Hu Y, Liang W, Ou C, He J, et al. Clinical Characteristics of Coronavirus Disease 2019 in China. N Engl J Med. 28 de fevereiro de 2020;0(0):null.
  3. Vaduganathan M, Vardeny O, Michel T, McMurray JJV, Pfeffer MA, Solomon SD. Renin-Angiotensin-Aldosterone System Inhibitors in Patients with Covid-19. N Engl J Med. 30 de março de 2020;
  4. Meng J, Xiao G, Zhang J, He X, Ou M, Bi J, et al. Renin-angiotensin system inhibitors improve the clinical outcomes of COVID-19 patients with hypertension. Emerg Microbes Infect. dezembro de 2020;9(1):757–60.
  5. Esler M, Esler D. Can angiotensin receptor-blocking drugs perhaps be harmful in the COVID-19 pandemic? J Hypertens. 2020;38(5):781–2.
  6. Gupta R, Misra A. Contentious issues and evolving concepts in the clinical presentation and management of patients with COVID-19 infectionwith reference to use of therapeutic and other drugs used in Co-morbid diseases (Hypertension, diabetes etc). Diabetes Metab Syndr. 25 de março de 2020;14(3):251–4.
  7. Patients taking ACE-i and ARBs who contract COVID-19 should continue treatment, unless otherwise advised by their physician [Internet]. American Heart Association. [citado 18 de abril de 2020]. Disponível em: https://newsroom.heart.org/news/patients-taking-ace-i-and-arbs-who-contract-covid-19-should-continue-treatment-unless-otherwise-advised-by-their-physician
  8. Castro REV de. Covid-19 e a criança com cardiopatia: posicionamento oficial conjunto de três sociedades [Internet]. PEBMED. 2020 [citado 18 de abril de 2020]. Disponível em: https://pebmed.com.br/covid-19-e-a-crianca-com-cardiopatia-posicionamento-oficial-conjunto-de-tres-sociedades/
  9. Sociedade Brasileira de Hipertensão [Internet]. [citado 19 de abril de 2020]. Disponível em: http://www.sbh.org.br/
  10. Cardiol. Posição da SBC sobre a Pandemia de Coronavírus [Internet]. cardiol. 2020 [citado 19 de abril de 2020]. Disponível em: https://www.portal.cardiol.br/post/posição-da-sbc-sobre-a-pandemia-de-coronavírus

 

Autora: Maria Clara Cavalcante Espósito
Revisor: Denis Soares de Melo

 

Créditos da Imagem: Freepik

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *