As estratégias de enfrentamento da pandemia trouxeram a tecnologia e as conexões virtuais para o cotidiano de milhares de crianças e adolescentes, contudo, também revelou o quanto o não acesso às tecnologias é uma realidade de muitos!

Desde março de 2020 um grupo de docentes do Departamento de Terapia Ocupacional (vinculados ao Laboratório de Terapia Ocupacional e Saúde Mental – LaFollia) e alunos de graduação e pós-graduação, tem realizado ações de cuidado em saúde mental infanto juvenil frente a pandemia da COVID-19, vinculados ao Programa de Extensão Saúde Mental em Ação. Dentre as frentes de trabalho, há uma preocupação em produzir ações de promoção e prevenção em saúde mental junto a crianças e adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade.

Mas como chegar até essas crianças e adolescentes com o trabalho remoto? A internet permite esse acesso? Entendemos que não.

Compreendendo a saúde mental infanto juvenil como o resultado da relação entre os recursos e habilidades pessoais, fatores contextuais e determinantes sociais que refletem no cotidiano as possibilidades de participação, fruição, reconhecimento e enfrentamento dos desafios. Entendemos que para promover ações de prevenção e promoção de saúde junto às crianças e adolescentes são necessárias ações que vão além da intervenção direta com esses sujeitos, e, sobretudo, que estejam implicadas no território em que vivem, seus contextos e realidade cotidiana. A promoção de saúde mental passa primeiro pela garantia de direitos e necessidades básicas das crianças e suas famílias.

Nossas parcerias

Para tanto, a intersetorialidade se tornou nossa ferramenta de ação. Encontrando parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania de São Carlos (SMCAS), pudemos construir projetos coletivos de cuidado e proteção à infância junto ao Programa Criança Feliz. Destacamos a instrumentalização da equipe técnica no manejo referente ao cuidado com a saúde mental que se dá pelo e no cotidiano das famílias e da construção de um grupo com essas: o PCF, o CRAS e a equipe extensionista (vislumbrando ainda a inclusão de outros parceiros, sobretudo da Atenção Básica em Saúde).

Tendo como recorte de ação do Programa, a região do Aracy, buscamos lideranças comunitárias para construção de um grupo solidário e de suporte, inicialmente com o objetivo de articulação de pessoas e serviços para potencializar o cuidado às famílias assistidas e da comunidade.

Observada a potência desse coletivo de moradores, apoiados pela perspectiva da Educação Popular de Paulo Freire, o que era um lugar de apenas compartilhar informações e demandas, passou a ser um lugar de produção de cuidado e proteção às crianças e à comunidade. Atualmente, esse grupo ganhou força e integra pessoas dos nove bairros da região (Aracy I, Aracy II, Antenor Garcia, Nova Aracy, Eduardo Abdelnur, Zavaglia, Presidente Collor, Planalto Verde, Itatiaia), tendo como perspectiva, a curto prazo, a formação de uma Associação de Moradores dos Bairros da Região Aracy. O grupo se denomina por REDE SOLIDÁRIA E DE APOIO REGIÃO ARACY.

Como ações que já temos construído junto a este grupo, destacam-se a articulação da Pastoral da Criança junto ao Programa Criança Feliz; construção de um documento e abaixo assinado para melhoria do transporte público, com ampliação da oferta; construção de um documento coletivo com propostas de ação ao poder público para o enfrentamento da COVID-19 na região, destacando-se uma ação de conscientização para a prevenção da doença nas comunidades, focalizando principalmente o isolamento social, práticas de higiene e que a informação chegasse até as crianças e adolescentes.

Construção da HQ

Dessa última tarefa que construímos a HQ Heróis Unidos. Construída com uma linguagem direcionada às crianças e adolescentes, com três heróis que garantissem a representatividade e simbolizassem as três principais estratégias de enfrentamento: uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

Da parceria que já tínhamos junto a SMCAS, conseguimos a doação de máscaras pela FESC e nos aproximar das OSC (Organizações da Sociedade Civíl) que trabalham com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade na região, como estratégia de entrega das HQs e das máscaras. Duas OSC, o Salesianos (Ação Social São Carlos) e a Casa da Infância Estrela da Manhã, colaboraram na melhoria da HQ, incluindo passatempos que buscassem destacar as estratégias de enfrentamento diante da COVID-19. As demais: APAE, ACORDE, Obras Sociais Francisco Thiessen, Projeto Madre Cabrini, Projeto Anjo da Guarda, Nave Sal da Terra, Nosso Lar, Projeto Coração e PROARA, nos apoiaram no planejamento e estão envolvidas com a entrega do material aos assistidos por seus projetos. A partir da última semana do mês de agosto, as OSC irão começar a entrega das HQs e máscaras (4 por assistidos), por meio de estratégias que respeitem as orientações dos documentos oficiais (OMS, Secretaria Municipal de Saúde, etc.).

Destaca-se também a participação das OSC na arrecadação das doações para custear a impressão das HQs, totalizando 8.600 tiragens. Também serão deixadas, posteriormente, HQs nas unidades de Acolhimento e CREAS e USFs.

Da ideia que nasceu do cuidado com a saúde mental infanto juvenil, a partir de uma compreensão ampliada, tem sido muito interessante e potente ver as composições possíveis nesse momento da pandemia. As dimensões da solidariedade, do território e do cuidado intersetorial tem sido fundamentais e possibilitado um terreno fecundo para ações coletivas de cuidado e proteção à infância e adolescência, no território e implicados com ele.

 

HQ Heróis Unidos

para acessar a HQ  clique aqui no link acima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *