Autoria: Robinson Silva Alves

Descrição da obra: A poesia tem um contato direto com o retrato da pandemia

Expressão: Literatura

 

Isolado

 

Isolado e sem forças

No castelo desespero

Tenho medo

De virar um número

Inumerável estatística

Teias mecânicas

Sustentam a frágil vida

Enfrentando a morte

Temendo a partida

Isolado…

Lembro assim

Que todo o dinheiro

Não pode devolver meu ar

O simples prazer

De respirar

As amarras tecnológicas

Toda a engenharia

O vil metal

Não pode devolver meus dias

Isolado..

No Império dos Sentidos

O confronto do nada

Masmorras da dor

Gritos na madrugada

Lutando sem forças

Contra inimigo mortal

Soldado tombado

Fronteira final

Isolado…

Olho para trás

Revejo meus caminhos

Mesmo cansado

Percebo que não estou sozinho

Anjos cansados

Enfrentam o mal

Lutam também

Contra o vírus mortal

Homens e mulheres

Mostram as virtudes

Guerreiros de branco

Arautos da saúde.

Meu peito grita

Coração amargurado

Preso na masmorra

Isolado….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *