Autoria: Gilda Portella

Descrição das obras: Corpos de cor preta sujeitos a séculos de trabalhos forçados, trabalhos inumanos, trabalhos ininterruptos; o corpo negro carrega em si a carga da escravidão e é representado como um corpo brutalizado, hipererotizado, desprovido de afetividade e intelectualidade. Mas esse corpo preto deve ser rememorado, com toda sua potência, e celebrado na realeza da ancestralidade africana; também cabe ressignificar a identidade desses reis e dessas rainhas na gênese da emanação telúrica

Expressão: Artes Visuais

 

Nossos Ancestrais são Rainhas e Reis

É uma série em que faço uma releitura das minhas obras; mulheres negras e homens negros ganham insígnias reais e, assim, devem ser rememorados(as); material e técnicas usadas: a foto da tela da artista plástica Gilda passou pelo processo de sobreposição e manipulação de imagem.

Ano 2020. Dimensões: 21 cm x 29 cm

 

Nossos Ancestrais são Rainhas e Reis

É uma série em que faço uma releitura das minhas obras; mulheres negras e homens negros ganham insígnias reais e, assim, devem ser rememorados(as); material e técnicas usadas: a foto da tela da artista plástica Gilda passou pelo processo de sobreposição e manipulação de imagem.

Ano 2020. Dimensões: 21 cm x 29 cm

Ano 2020. Dimensões: 21 cm x 29 cm

 

Somos todos descendentes dos Reinos Africanos

“Meus Ancestrais são Reis e Rainhas” é uma série em que faço uma releitura das minhas obras; homens negros ganham símbolos reais digitalizados e, assim, devem ser rememorados, celebrando a força e a grandeza de todo o legado artístico, histórico e arquitetônico dos reinos africanos para a história da humanidade. Material e técnicas usadas: a foto da tela da artista plástica Gilda passou pelo processo de sobreposição e manipulação de imagem.

Ano 2020. Dimensões: 21 cm x 29 cm

 

Nossos Ancestrais são Rainhas e Reis

É uma série em que faço uma releitura das minhas obras; aqui celebro todas as mãos dos negros que trabalharam e construiriam a nação brasileira, a mão do preto-velho que segura o cajado, símbolo da fé e da sabedoria na umbanda, ganha insígnias reais e, assim, deve ser rememorada; material e técnicas usadas: a foto da tela da artista plástica Gilda passou pelo processo de sobreposição e manipulação de imagem.

Ano 2020. Dimensões: 21 cm x 29 cm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *