Por Juliana M. Menegussi e Alessandra R. Paolillo

A população idosa, devido às várias fragilidades, desde o início da pandemia foi incluída no grupo de risco. Com isso, uma condição que ganha destaque dentro do público idoso, é a daqueles que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPI). Essas pessoas passaram a  enfrentar um risco maior se pensarmos nas condições estruturais frágeis e precárias que algumas ILPIs oferecem aos idosos residentes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que metade das mortes por COVID-19, na Europa, ocorreu em ILPIs. Esse cenário europeu como também o americano, nos diz muito sobre como devemos cuidar dos idosos brasileiros que estão residindo em instituições de acolhimento. 

No Brasil, a maioria das ILPIs sofre com falta de recursos e, na maior parte dos casos, não conta com infraestrutura adequada e com profissionais qualificados. Com isso, a possibilidade de enfrentarmos uma tragédia humana, anunciada, aumenta consideravelmente.

Desse modo, um grupo de profissionais criou uma plataforma digital https://www.ilpi.me/ que reúne uma série de orientações, cujo objetivo é o de auxiliar as instituições de longa permanência durante a pandemia. 

O site disponibiliza um plano de ação completo e detalhado que pode ser implantado nos serviços. Além disso, é possível realizar  um cadastro no item “Cadastro de ILPI e Mapeamento de Demandas de Insumo”, em que os dados coletados servem para  compreender as necessidades das ILPIs e colaborar com órgãos oficiais na formação de políticas públicas que possam trazer auxílio. Inclusive, as informações cadastradas no formulário são enviadas, diariamente, para o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. 

Aqui, destacamos os cinco passos que as ILPIs podem implantar visando o bem comum que as sociedades de todo o mundo buscam, que é salvar vidas:

1 – preparação dos profissionais que trabalham na instituição;

2- comunicação aos idosos, com o objetivo de proteção e cuidado, frente às mudanças exigidas;

3- compra de insumos de proteção, ou seja, o que a instituição realmente deve ter;

4- comunicado aos familiares, abordando como dialogar da melhor forma com a família do idoso, acolhendo-a e fazendo com que se sinta pertencente;

5- comunicado à sociedade, busca atingir o maior número possível de informação aos órgãos competentes para compreenderem as especificidades desse cenário de cuidado.

 

Caso a sua instituição precise de orientação e apoio é possível entrar em contato com a equipe do ILPI.ME pelo e-mail: ajuda@ilpi.me

Não fique com dúvidas. Não arrisque vidas.

 

REFERÊNCIAS

ILPI.me. Coronavírus: plano de ação para ILPIs. Disponível em: https://www.ilpi.me/. Acesso em: 05 jun. 2020

O GLOBO. Coronavírus: até metade das mortes em alguns países da Europa ocorreram em casas de repouso, alerta OMS. Disponível em: https://oglobo.globo.com/mundo/coronavirus-ate-metade-das-mortes-em-alguns-paises-da-europa-ocorreram-em-casas-de-repouso-alerta-oms-24389289. Acesso em: 05 jun. 2020

Crédito da imagem: ANPR  em Fotos públicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *