Se você ou um familiar recebia atendimento de uma equipe de cuidados paliativos ou de alguma outra equipe domiciliar antes da pandemia, como equipe de saúde da família, é importante saber que as visitas dos profissionais de saúde foram adaptadas ao contexto da Covid-19.

Como uma forma de diminuir os riscos de contágio, as equipes que atendem em domicílio estão dando preferência a outras formas de interação, como por exemplo as chamadas telefônicas e videoconferências.

Covid-19 provoca mudanças no atendimento domiciliar

No começo pode parecer estranho ter contato com esses profissionais por meio de aparelhos, mas trata-se de uma proposta válida e capaz de diminuir a exposição das equipes e dos pacientes, que não precisam ir aos hospitais ou outros serviços de saúde em busca de orientações. Além do mais, o telemonitoramento foi regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e por outros Conselhos de profissões da saúde para o atendimento durante a pandemia da Covid-19.

O que muda no atendimento?

A equipe de cuidados paliativos pode propor uma videoconferência para que todos os membros consigam ver o paciente. Se o vídeo não for viável, eles poderão considerar o contato telefônico em modalidade viva-voz para que todos participem da conversa.

Nesses atendimentos por vídeo ou voz, além das questões que já costumam ser abordadas, os profissionais, muito provavelmente, perguntarão se alguém da família apresenta sintomas de gripe. Essa é uma forma de verificarem se há necessidade de avaliação presencial ou encaminhamento a um serviço de saúde.

Quando a equipe entender que é preciso fazer a visita, alguns cuidados serão tomados, como: os profissionais não devem entrar todos de uma vez para ver o paciente; serão seguidos padrões específicos de atendimento e todos usarão equipamentos de proteção individual (EPIs).

Orientações para os cuidadores

Para cuidar da forma mais segura possível da pessoa acometida ou com suspeita de ter a Covid-19 os cuidadores devem seguir as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre essas estão:

A relação completa das orientações da OMS está disponível em: https://bit.ly/2S1YC1B.

Referências:

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Ofício CFM  nº 1756/2020. Disponível em: http://portal.cfm.org.br/images/PDF/2020_oficio_ telemedicina.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Atendimento domiciliar para pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus (2019-nCoV), que apresentam sintomas leves e manejo de contatos. Fev. 2020. Disponível em: https://bit.ly/2S1YC1B.

Elaborado por
Esther Angélica Luiz Ferreira
Tatiana Barbieri Bombarda
Juliana Morais Menegussi
Stefhanie Piovezan

Saiba mais sobre a Liga Acadêmica de Terapia Antálgica e Cuidados Paliativos (LATACP):

Acompanhe a página do Coletivo Cuidados Paliativos da UFSCar no Facebook:

Créditos da imagem: Freepik no Freepik

 Versão em Libras:

Veja também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *