Autoria: Amaral

Vínculo acadêmico: Estudante de graduação em Filosofia – Campus São Carlos

Descrição da obra: Sempre estou pontuando os temas pertinentes à periferia, usando a literatura e o encanto da poesia para informar o leitor periférico sobre os temas da pobreza, desigualdade, racismos e toda forma de opressão, mas sempre pontuando uma referência da beleza presenta nas quebradas e nas pessoas que vem de lá.

Temática(s): Questões étnica-raciais/afro-brasileiras/diaspóricas e afins; Periferia e movimentos da quebrada

Expressão: Literatura

O buraco é mais fundo

Tá cheio de buraco na pele do negro
Tá cheio de buraco, a pele do negro
E agora descobriram o buraco negro!!!!
Tá cheio de buraco a pele do negro
Tá cheio de buraco a pele do negro
Porém, olha!!

Leia mais…

 

Afastamento

Ando por caminhos
Onde minha liberdade não caminha
Onde nem ela nem a rua é minha
Dizem que é pública, como é pública a mentira
Com medo no pé sustentando minha consciência
Cruzam as vielas, as ruas os becos

Leia mais…

 

O barulho do individual é música para o social

Quando aceleração
Vira razão
Dessa nova produção
Que vira sua desregulação
Para trazer porção nos bolos de alguém
Que diz com você não ter ligação

Leia mais…

 

Vida, ninho de poesia

Passarinho, nasce no ninho à passarinhar
Vive no ninho passar-tempo
Passarinhando
Cresce asa, todos saem voando
Passarinho é inspiração do homem
Passarinho voa e canta

Leia mais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *