Autoria: Priscila Moreira Gouveia

Descrição da obra: Trata-se de uma poesia que relaciona os sentimentos humanos e a necessidade de cuidarmos uns dos outros.

Expressão: Literatura.

 

Presença

Em tempos caóticos, vozes perdidas buscam os seus
Os encantos da alma parecem encobertos
Por paredes frias e sorrisos etéreos
Às vezes a simplicidade sente-se tão só
Tolamente perdida tateando as nuvens do céu
Ela grita, e atordoada em suas próprias dúvidas
Chama por quem possa lhe socorrer
Lhe estender, quem sabe, uma lágrima
Um sentimento qualquer
Nesse mundo louco
São tantos os desencontros
Onde estão os Outros de Lacan?
Deveríamos ser mais
Mais próximos, mais sensíveis, mais leais
Deveríamos ser menos
Menos ausentes, menos individualistas, menos letais
Estar com o outro é mais do que uma eventualidade
É no sorriso, no olhar, no atento caminhar,
Numa mão quente que acaricia os dedos do companheiro
Que se encontra a liberdade
Estar só deveria ser uma escolha e não uma calamidade
E amar alguém…ah, amar alguém…
É um ato de fé, é um passo para além da vida
É colocar a própria vida com as cartas sobre a mesa
É entregar-se ao julgamento do juízo final
E entreabrir os lábios
Exalar tranquilidade
E confiar no coração
Amar é o prazer de cuidar do outro e dar tudo de si
Sem perder nenhuma porção da própria existência
Amar é ser infinito
Enquanto houver sentido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *