O grupo temático de saúde indígena do informasus conta hoje com apoio de estudantes indígenas e não indígenas. Durante nossas conversas semanais surgiu a ideia de conversar com estudantes indígenas da UFSCar sobre como eles têm experimentado o período de quarentena imposto pela pandemia da covid-19. Nessa primeira conversa, falamos com a estudante Guanilce Falcão Soares da etnia Tariana, que veio do município de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, para estudar Educação Física na UFSCar.

A UFSCar realiza seu vestibular indígena desde 2008 como parte da sua política de Ações Afirmativas.  Segundo a Pró-Reitoria de graduação, em matéria sobre exposição fotográfica dos 13 anos de presença indígena na universidade intitulada Povos indígenas na UFSCar –Os treze anos de presença(s) indígena(s)na UFSCar, informa que são mais de 40 povos indígenas presentes nos 4 campi, e já formou 42 profissionais nos cursos de Administração, Agroecologia, Biblioteconomia e Ciência da Informação, Biotecnologia, Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Agronômica, Fisioterapia, Geografia, Gerontologia, Gestão e Análise Ambiental, Imagem e Som, Letras, Medicina, Pedagogia, Psicologia e Turismo.

A presença indígena traz uma grande diversidade cultural e linguística para a UFSCar e faz a universidade uma referência para outras instituições de ensino superior no país.

Acompanhe a nossa conversa!

 

Crédito da imagem: Jana Pessôa/Setasc-MT em Fotos públicas.

Veja também:

Categoria: Saúde Indígena

Envie sua dúvida sobre Coronavírus ou COVID-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *