A COVID-19 é uma doença nova, e pesquisadores do mundo todo estão dedicando seus trabalhos ao desenvolvimento de estudos para compreendê-la e cuidar das pessoas que estão adoecendo. Fruto deste trabalho, a quantidade de informações sobre o tema tem crescido a passos largos, assim como as ações de educação para o trabalho sobre a doença. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), por exemplo, estima que mais de oito mil trabalhos com temáticas relacionadas à COVID-19 foram publicados em periódicos científicos nos quatro primeiros meses de 2020. Consequentemente, os profissionais de saúde estão expostos a um mar de informações sobre o tema.

Tanto a superexposição à informação quanto a falta dela parecem influenciar negativamente a saúde de trabalhadores da Saúde que estão na linha de frente. Um estudo recente sobre o contexto da COVID-19 observou que, com a mudança frequente das diretrizes, profissionais de saúde tendem a se sentir sobrecarregados e não conseguem acompanhar a atualização das orientações. A literatura científica tem sugerido, também, que a falta de acesso à educação sobre COVID-19 pode contribuir para o aumento do risco de resultados psicológicos adversos em profissionais de saúde.

Neste cenário, torna-se essencial traçar estratégias para aprender a nadar neste mar vasto e turbulento. Saber ponderar as ações prioritárias para a educação para o trabalho e discernir informações reais das fake news – ou seja, aquelas informações falsas, que geram desinformação e disseminação de boatos – é algo essencial.

Se estiver precisando de mais informações sobre a COVID-19 para auxiliar no seu processo de trabalho, converse com os educadores e gestores de seu local de trabalho para verificar a viabilidade de ações educativas direcionadas a sua equipe. Informe-se sempre por meio de fontes confiáveis, como os portais oficiais do Ministério da Saúde (MS), da Organização Mundial da Saúde (OMS), das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde de sua localidade e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Destacamos, também, o InformaSUS-UFSCar, Portal que veicula informações confiáveis à comunidade científica e à população em geral.

Caso esteja buscando contribuir para a educação formal ou informal de sua equipe, confira algumas dicas para ajudar na implementação de ações educativas efetivas (HOUGHTON et al., 2020):

  • estratégias claras de comunicação e de compartilhamento de novas informações nas organizações são consideradas vitais;
  • o uso de múltiplas plataformas (ou métodos) de comunicação é considerado uma maneira útil de garantir que todos recebam informações e atualizações acessíveis;
  • treinamentos específicos sobre a COVID-19 facilitam a adesão às diretrizes institucionais, que devem ser preferencialmente curtas, coerentes e alinhadas às orientações internacionais;
  • treinamentos obrigatórios e que têm seu desempenho avaliado na prática também facilitam a adesão;
  • fique atento com as estratégias escolhidas. Profissionais de Saúde da linha de frente sentem dificuldade em equilibrar o papel de educador com suas responsabilidades assistenciais;
  • o conhecimento gerado a partir da educação informal (como a experiência de um colega ou de um paciente que contraiu a doença) é visto como um facilitador;
  • o conhecimento não deve ser limitado a profissionais de Saúde específicos da equipe – o conhecimento é para todos;
  • além do reconhecimento e da responsabilidade individual do profissional em aumentar seu conhecimento, também são necessárias evidências, justificativas e apoio institucional para fazê-lo.

A lista a seguir traz, ainda, vários cursos* na modalidade de Educação a Distância (EaD), selecionados por nós e que podem auxiliar neste processo:

  • Manejo Clínico da COVID-19 na Atenção Primária à Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – Brasília, disponível aqui;
  • Saúde Mental e Atenção Psicossocial na COVID-19, da Fiocruz – Brasília, disponível aqui;
  • Protocolo Clínico da COVID-19 na Atenção Primária à Saúde, da Universidade Federal do Piauí (UFPI), disponível aqui;
  • COVID-19: O que você precisa saber e fazer!, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP/USP), disponível aqui;
  • covid-19: Por que precisamos de isolamento físico?, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), disponível aqui;
  • Capacitação: Atenção à Saúde do Idoso na Covid19, do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (CONASS), disponível aqui;
  • Condições Clínicas e Agravos à Saúde Frequentes em Pessoas Idosas, da Fiocruz – Brasília, disponível aqui;
  • Prevenção e controle de infecções (PCI) causadas pelo novo coronavírus (COVID-19), da Fiocruz – Brasília, disponível aqui;
  • COVID-19 e anestesia: programa de capacitação, organizado pela Fundação para Segurança do Paciente (FSP) e pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), disponível aqui;
  • Cuidados Clínicos na Síndrome Respiratória Aguda Grave – 2020 (COVID-19), organizado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em parceria com o Campus Virtual de Saúde Pública e disponível aqui;
  • Projeto para Unidade de Tratamento de Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG – 2020 (COVID-19), disponível aqui;
  • Doenças ocasionadas por vírus respiratórios emergentes, incluindo o COVID-19, da Fiocruz – Brasília, disponível aqui;
  • COVID-19 – Manejo da infecção causada pelo novo coronavírus, do Campus Virtual Fiocruz, disponível aqui;
  • Oxigenação e ventilação de pacientes COVID-19, da American Heart Association, disponível aqui;
  • Capacitação – Prevenção e combate à COVID-19: saúde na indústria, do SESI Rio Grande do Sul, disponível aqui.

(*) atente-se para os prazos de inscrição de cada um dos cursos nos links indicados.

E lembre-se: para conquistar o mar devemos também reconhecer quando o cansaço está nos levando à deriva. É preciso saber quando frear a exposição à informação, sobretudo para a manutenção da saúde mental. Se você tem acesso a informação e está se sentindo exposto, inseguro ou ansioso, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) selecionou algumas recomendações importantes que podem contribuir para sua saúde mental:

  • atenha-se aos fatos;
  • evite, na medida do possível, ler ou ouvir notícias que te causem ansiedade ou angústia;
  • limite o tempo que você passa vendo ou ouvindo notícias caso note que a cobertura da mídia aumenta excessivamente sua preocupação e agitação;
  • informe-se por meio de fontes confiáveis. Informações precisas permitem que pessoas tomem decisões conscientes e adotem comportamentos positivos;
  • lembre-se: informações baseadas em evidências são a melhor vacina contra os boatos e a desinformação;
  • reúna apenas informações que contribuirão para determinar seus riscos com precisão.

É possível, inclusive, pedir ajuda aos salva-vidas: se sentir necessidade, procure apoio profissional. Há alguns canais gratuitos de ajuda, como os listados a seguir:

 

Referências

  1. FIORAVANTI, C. [com Agência FAPESP]. “Novo coronavírus acelera produção e difusão científica”. Revista Pesquisa FAPESP, 29 fev. 2020. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/novo-coronavirus-acelera-producao-e-difusao-cientifica/. Acesso em: 09 jun. 2020.
  2. HOUGHTON, C. et al. Barreiras e facilitadores para a adesão dos profissionais de saúde às orientações de prevenção e controle de infecções (PCI) para doenças infecciosas respiratórias: uma rápida síntese qualitativa das evidências. Cochrane Database of Systematic Reviews, n. 4, 2020. Disponível em: https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013582/full. Acesso em: 09 jun. 2020.
  3. KISELY, S. et al. Occurrence, prevention, and management of the psychological effects of emerging virus outbreaks on healthcare workers: rapid review and meta-analysis. BMJ, n. 369, 2020. Disponível em: https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1642. Acesso em: 09 jun. 2020.

 

 

Autoria de
Fernanda Maria de Miranda
Vivian Aline Mininel

Revisão de Conteúdo por
Cristiane S. Moriguchi de Castro
Débora Couto Carrijo
Eduardo Pinto e Silva
Juliana Morais Menegussi
Juliano Ferreira Arcuri
Mariana de Almeida Fagá
Vera Regina Lorenz

Créditos da imagem: Wirestock no Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *