Segundo Paulo Freire: “É preciso ter esperança, mas ter esperança do verbo esperançar;
pois tem gente que tem esperança do verbo esperar”.

A Pandemia da COVID-19 abalou e vem abalando inúmeras estruturas da nossa sociedade. E ao passo que destrói vidas, em todos os sentidos, mostra-nos que o trabalho coletivo e o esforço voluntário são a trama que entrelaça os nós de um projeto de solidariedade. O projeto UFSCar Sorocaba em Ação é o exemplo de “esperançar”.

O projeto UFSCar Sorocaba em Ação reúne docentes, técnicos e discentes voluntários a fim de fabricar e distribuir álcool em gel 70% para unidades de saúde, profissionais da linha de frente de combate à COVID-19 e para a população em situação de vulnerabilidade social. Essa ação tem como objetivo amenizar os impactos da pandemia na região de Sorocaba e na permanência estudantil.

Mas, afinal, qual é a importância da produção, distribuição e uso de álcool em gel que tanto se discute nos últimos meses? Para responder a esse questionamento, primeiro devemos entender de que forma esse produto pode nos ajudar a reforçar o cuidado no cotidiano. 

Sabemos que o SARS-CoV-2 (coronavírus) trouxe uma nova realidade ao mundo. Além das máscaras utilizadas diariamente pela população como forma de prevenção, há também o álcool em gel que deve ser usado nas mãos (além de punhos e objetos) quando a utilização de água e do sabão não for possível. Assim como o álcool em gel, a água e o sabão, juntos, também são métodos efetivos e capazes de quebrar a cápsula de gordura protetora do vírus, destruindo-o. Em relação ao gel, o ideal é que a concentração de álcool etílico (etanol) nesses produtos seja de 70%, pois, de acordo com o Conselho Federal de Química, essa é a quantidade necessária para combater micro-organismos patogênicos.

Produzir e distribuir o álcool em gel tem sido essencial para a manutenção da saúde pública humana. Diante disso, o projeto UFSCar em Ação tornou esse produto acessível e reforçou como a pesquisa dentro das universidades públicas é fundamental, visto que a ciência colocada em prática dentro de um laboratório universitário não fica  apenas restrita à academia, mas também auxilia na prevenção de grande parte da população.

Dentro de tal contexto, a Universidade pública se coloca como aliada da sociedade. Ou, parafraseando um grande professor meu, ela é: 

“Como um farol que ilumina a humanidade”

Recentemente, o projeto fez um grande volume de doações para diversas instituições da região, tais como: o Hospital Regional de Sorocaba, a Casa Neon Cunha (que acolhe pessoas LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade), a Pastoral do Povo da Rua (uma entidade da grande São Paulo que fornece alimento, água, roupas e oficinas para pessoas em situação de rua), o Lar de Acolhimento Assobem, em Pilar do Sul, a Casa Transitória André Luiz, a Associação Santa Rita de Cássia, a Casa do Menor, a Casa Áurea dos Velhinhos, em Salto de Pirapora, e muitas outras instituições que ainda estão por vir.

 

 

Para ilustrar um pouco do trabalho desenvolvido, entramos em contato com alguns alunos participantes do projeto, a fim de que contassem suas experiências dentro do UFSCar em Ação:

Elísha Silva de Jesus, graduada em Ciências Biológicas pela UFSCar. Educadora popular e pesquisadora nas áreas de gênero, trans e educação para a diversidade sexual:

“O governo optou por deixar as pessoas, os hospitais e as instituições sociais por si mesmas. Precarizou muito o acesso aos bens de higiene em um momento onde lavar as mãos e se proteger com álcool é o mínimo que podemos fazer para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. A produção de álcool em gel é relativamente simples. Se de forma voluntária conseguimos atender instituições públicas e sociais na forma preventiva, doando álcool em gel, com certeza teríamos menos mortes e teríamos controlado a pandemia se o apoio do Estado existisse. O governo escolheu deixar o povo morrer, e nós, do projeto, salvo devidas proporções, temos feito o que está ao nosso alcance para minimizar os impactos na microssociedade aqui da região.”

Lorena Alves, discente do curso de Licenciatura em Química no campus Sorocaba: 

“O UFSCar Sorocaba em Ação é um projeto de extensão orientado pela Dra. Monica Jones, do Departamento de Biologia aqui da UFSCAR Sorocaba. Teve início aproximadamente em março/abril e não tem previsão para acabar. Nós trabalhamos voluntariamente todos os dias na produção do álcool em gel, que é o que demanda mais esforço. O trabalho não é tão simples, pois temos que correr atrás de doações, divulgação, organização, etiquetagem e outras funções que vão além da produção do álcool em si. Mas, mesmo com todo esse trabalho, é muito gratificante participar e saber que mesmo em um período onde nós podemos ter aula ou trabalhar, estamos fazendo algo que de fato ajude a comunidade neste momento tão difícil para todos. Essa é uma das principais motivações: ajudar o próximo como podemos e mostrar que a universidade pública produz, e que a sua produção beneficia a todos, dentro e fora do meio acadêmico. Fico muito feliz por contribuir, mesmo que seja um pouco, para combater o vírus que estamos enfrentando!

Rafael Pereira Lobo, aluno de Licenciatura em Ciências Biológicas no campus Sorocaba:

“Conheci o projeto UFSCar em Ação a partir do convite de um amigo e para mim foi bem legal porque estou em quarentena isolado na minha kitnet desde março. Desde a suspensão das aulas, permaneci aqui. Chega uma hora que é desesperador, pois você quer sair e ver pessoas, mas só fica em casa e sai apenas para ir ao mercado, farmácia e afins. Quando surgiu a oportunidade de entrar no projeto, a minha quarentena mudou totalmente porque me deu um objetivo além de ficar só em casa tendo EAD, sem saber quando as coisas voltarão ao normal. Trabalhar com o álcool em gel, além de recompensador — pois você sabe que está ajudando as pessoas e faz aquele trabalho voluntário em prol dos que estão precisando —, muda a sua rotina, já que você trabalha, reencontra seu campus, conhece outros participantes do projeto… Essa convivência me ajuda muito a aguentar o momento de quarentena longe dos meus amigos e família. Então, a importância do projeto é muito grande! Percebo isso por meio das entregas para hospitais e ONGs que entram em contato conosco. Tive a oportunidade de fazer parte de uma entrega para uma ONG de São Paulo, onde o padre Júlio Lancelotti ajuda moradores de rua com comida, cobertores e doações. Nós doamos muitas caixas de álcool em gel e foi muito recompensador, pois é gratificante ver que o produto está indo para pessoas que não teriam acesso a ele e à proteção contra o vírus. Então, por esse lado é muito legal, e, pelo lado mais pessoal, por eu estar longe da minha família e amigos, é legal poder me encontrar com pessoas. A maioria do pessoal eu não conhecia…Muitos deles, que também estão em quarentena, são de cursos diferentes. Por meio do projeto eu fiz novas amizades e isso me dá ânimo para continuar. Nós nos revezamos nas atividades e algumas pessoas têm funções mais específicas, como cuidar da divulgação nas redes sociais, por exemplo. Eu ajudo na produção. Por meio de uma escala semanal que considera o tempo livre de cada um, a gente vai para o laboratório produzir o álcool em gel, encaixotar, contar os litros para doação, etiquetar com a data de fabricação e outros dados de acordo com a Anvisa, ajudando também quando as entregas são muito grandes, pois é necessário documentar”.

As doações feitas pelo projeto só foram possíveis porque outras pessoas também contribuíram doando insumos como álcool, espessante, frascos e EPIs.

No momento, a nossa maior demanda é para os seguintes materiais:

  • frascos plásticos de 30 mL a 5 L;
  • caixas de papelão (para o acondicionamento dos frascos durante as entregas);
  • hipoclorito de sódio (para a esterilização dos frascos);
  • agente eucalinizante trietolamina (que ajusta o pH do álcool em gel).

O projeto não apenas demonstra o papel da Universidade, mas também nos coloca como retaguarda na linha de frente, em uma ação de promoção da saúde. No entanto, com a crescente demanda, os insumos acabam sendo insuficientes e o projeto busca por doações e parceiros que queiram contribuir com a causa e nos ajudar a salvar vidas. 

Se você também quer e pode contribuir, conheça a nossa vaquinha virtual: Vakinha

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail: monica@ufscar.br ou pela página do Instagram.

O projeto é coordenado pela docente Mônica Jones, do Departamento de Biologia. 

Nós, do projeto UFSCar Sorocaba em Ação, agradecemos!

Crédito das imagens: Equipe UFSCar Sorocaba em Ação

 

Imagens de algumas das ações do projeto:

 

 “Hoje, fizemos a doação de 30 L de álcool em gel na Casa Áurea dos Velhinhos, em Salto de Pirapora. Eles estão precisando de luvas descartáveis. Por favor, contribuam com doações de insumos ou dinheiro! Seguimos juntos no combate ao vírus!”
“Sexta-feira (10/07), fizemos a doação de 50 L de álcool em gel para o Hospital Regional de Sorocaba. A matéria sobre essa entrega saiu na mídia”. Veja o link: Hospital Regional de Sorocaba 
 “Hoje, fizemos a entrega de 200 L de álcool em gel para a Pastoral do Povo da Rua. A Pastoral acolhe moradores em situação de rua na grande São Paulo, fornecendo alimento, água, roupas, oficinas e mais. Que nesse momento de pandemia nossa doação ajude a eles e a muitos outros em situação de vulnerabilidade!”

 

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *